Popular Tags:

2 PONTOS APENAS SEPARAM À ELEIÇÃO DO SEGUNDO TURNO

14 de setembro de 2014 at 21:17

Diferença de Henrique para Robinson é de 6,8 pontos na estimulada, diz Seta
Candidato do PMDB lidera com 35% das intenções de voto, contra 28,2% do principal adversário.
Diógenes Dantas, 14 de setembro de 2014

Reprodução/Gráfico do Instituto Seta

Robério Paulino (PSOL) ficou com 3% das preferências, seguido por Simone Dutra (PSTU) com 2,3%, e por Araken Farias (PSL) com 0,4%.
SELO_ELEICAOO escândalo do propinoduto na Petrobras já provoca oscilações na eleição estadual. A diferença entre Henrique Eduardo Alves (PMDB) e Robinson Faria (PSD) caiu para 6,8 pontos percentuais, segundo a nova rodada de pesquisas Seta/Nominuto divulgada neste domingo (14). Na estimulada, Henrique lidera com 35% das intenções de voto, contra 28,2% de Robinson.

Robério Paulino (PSOL) ficou com 3% das preferências, seguido por Simone Dutra (PSTU) com 2,3%, e por Araken Farias (PSL) com 0,4%.

Brancos e nulos somaram 13,5%, e não sabe ou não respondeu ficou em 17,6%.

A pesquisa Seta/Nominuto ouviu 1.700 eleitores em todo o Estado do Rio grande do Norte entre os dias 9 e 11 de setembro. A margem de erro é de 3% para mais ou para menos. O intervalo de confiança é de 95%, e o levantamento foi registrado no TRE sob o número RN 00025/2014.

Espontânea

Na pergunta espontânea, Henrique Alves abre um pouco mais de vantagem, cerca de 10 pontos percentuais. O candidato do PMDB aparece com 30,6%, e Robinson com 20,7%

ROBINSON FARIA E FÁTIMA BEZERRA EM BARAÚNA

14 de setembro de 2014 at 15:26

Esteve em Baraúna hoje pela manhã e terminando com o sol da lua do meio dia, a Caravana do Liderados pelo Povo, tendo a frente o candidato a governador Robinson Farias e a Candidata a senadora Fátima Bezerra, uma carreata com centenas de carros circulo pelas ruas Jerônimo Rosado, São Francisco e depois Jerônimo Rosado, chegando ao Mercado Central, Robinson falou ao povo depois de saudado pela vereadora Divanize e Tértulo Alves, disse que em seu governo ia ouvir o povo e que tinha recebido um documento do povo de Baraúna, disse que a Companhia de Polícia, os Trechos e 11 111 da Estrada do Melão, uma escola técnica das 20 que ia construir no estado, uma seria em Baraúna, disse que era homem que cumpria palavra e levou o documento para ser analisado nos mínimos detalhes em sua assessoria, que veio também foi Renato Fernandes, amigo de Neguinho Birimba, deputado federal Betinho e candidato a federal Betinho ll, estavam no palanque, vereador Fábio Moura, Flávio Mathias, Arimateia Bolão, Ruberlândio Quiroz, Madalena Pereira, Marcos Fábio, vereador Jório Nogueira, prefeito de Mossoró Francisco José Júnior que me mostrou uma pesquisa do jornal Gazeta do Oeste onde os candidatos Robinson Farias e Henrique Alves estava empatados em Mossoró e a dirença no estado no momento para haver segundo turno é de apenas 2 pontos, Falei a Fátima Bezerra que ia votar nela pela coragem dela deixar uma cadeira garantida de deputada e ir se candidatar a senadora viabilizando a vitória de Robinson Faria para governador, Jesse Jaime, Daniel Pereira e Tobete também estavam na carreata.

GISELE ROMÃO, NENEM DO JUREMAL E RAIMUNDO DO POÇO NÃO AGUAENTARAM O CANTO DA SEREIA

Fazer oposição não é para todo mundo, Gisele Romão que foi eleita por Isoares Martins contra Luciana Oliveira, resolveu aderir para Gilson Professor por uma secretaria para o seu marido e dona Nenem do Juremal e Raimundo do Poço acompanharam Gisle Romão nesta empreitada, não tenho nada contra estes adesistas, mas ele foram eleitos pelos votos contra Gilson Professor e aderindo vão perder estes votos, não vão mais ganhar à eleição, do lado de lá eles não terão votos e deste lado não vão ter mais, mas política é assim, os adesistas não suportam a cantar da sereia e oposição foi feita para quem tem sangue no olho, hoje conversando com o doutor Herval Sampaio e dei minha opinião, acho que em Baraúna vai haver eleições suplementares, doutor Herval tem a mesma opinião de Wilson Cabral e o doutor disse mais, Luciana Oliveira cometeu 10 ilicitudes eleitorais e Isoares 5, no mérito tem que cair todas e se uma só permanecer vai haver novas eleições, seria muito bom que isto acontecesse.

ZEZÉ DA AGRÍCOLA ROMPEU COM LUCIANA OLIVEIRA

O empresário Zezé da Agrícola que trabalhou para Luciana Oliveira, é um a mais dos decepcionados que formam uma fila de milhares de Baraúna, ele votou em Luciana, mas está com Robinson e não abre um prego, é um dos coordenadores da campanha de Robinson em Baraúna, toda movimentação foi feita sem que a chapa majoritária gastasse um só real, cada baraunense que estava lá, estava voluntariamente, campanha vitoriosa é assim, a vitória de Robinson em Baraúna proporcionalmente será a maior do estado, Baraúna está prejudicada pelo adversário de Robinson e vai para urnas com um voto de protesto, tem ainda a administração de Luciana Oliveira que é corrupta e está sendo investigada pelo promotor Eduardo Medeiros um dos promotores imparcial deste Brasil, é uma compra fraulenta de 780 mil reais em livros, tenho dito.

ROBINSON EMPATADO COM HENRIQUE ALVES

14 de setembro de 2014 at 13:10

Robinson cresce em Mossoró e empata com Henrique

A pesquisa divulgada neste domingo (14) pelo jornal mossoroense Gazeta do Oeste mostra empate entre os candidatos ao Governo Robinson Faria (PSD) e Henrique Alves (PMDB). A pesquisa mostra o que as ruas sinalizam: o crescimento da campanha de Robinson e o sentimento de mudança na estrutura política do Rio Grande do Norte.

De acordo com a pesquisa feita pelo Instituto Certus e Gazeta do Oeste de 10 à 12 de setembro, Robinson tem 15,33% e Henrique tem 18,59%, o que configura empate técnico entre os candidatos já que a margem de erro é de 3%.

Para Robinson a pesquisa reflete o apoio que a campanha tem recebido dos mossoroenses. “Nas ruas de Mossoró o sentimento é de mudança. Os eleitores elegeram o nosso prefeito Francisco José que vem fazendo um bom trabalho na Prefeitura e agora vão eleger o governador. Mossoró terá um governador parceiro a partir de janeiro de 2015. A nossa pesquisa no olho a olho aponta que estamos no caminho certo. Agradecemos a todos os mossoroenses pelo apoio a nossa caminhada”, destacou.

A disputa para o Senado também mostra a vitória de Fátima Bezerra (PT) que – de acordo com a pesquisa – vence a disputa com 9,3% à frente da candidata em segundo lugar. A pesquisa mostra que 33,67% dos mossoroenses votam em Fátima contra 24,37% que votam em Wilma.

A margem de erro da pesquisa Certus/Gazeta é de 3% percentuais para mais ou para menos e o intervalo de confiança é de 95%. A pesquisa foi protocolizada no TRE com sob o número RN-00026/2014.

Pesquisa Seta/ Nominuto também aponta crescimento de Robinson

O instituto de pesquisa Seta também divulgou pesquisa neste domingo (14) no portal de Notícias Nominuto em que se constata o crescimento da campanha de Robinson. Em agosto a diferença era de 15%, diminuiu para 9,2% na semana passada e agora a diferença entre os candidatos é de apenas 6,8%.

Na estimulada, Robinson está com 28,2% enquanto Henrique está com 35% das intenções de voto. A pesquisa Seta/Nominuto ouviu 1.700 eleitores em todo o Rio Grande do Norte entre os dias 9 e 11 de setembro. A margem de erro é de 3% para mais ou para menos. O intervalo de confiança é de 95%, e o levantamento foi registrado no TRE sob o número RN 00025/2014

ROBINSON E HENRIQUE EMPATADOS EM MOSSORÓ

14 de setembro de 2014 at 13:02

Em Mossoró publicado por Webmaster em 14 de setembro de 2014 às 00:00 | editado em 13/09/2014 às 23:16
Robinson Faria está tecnicamente empatado com Henrique Alves
Na pesquisa espontânea, de acordo com a Certus, a diferença entre os dois candidatos é de 3%, justamente a margem de erro apontada no histórico da sondagem.
Robinson Faria ampliou patamar e esta hoje… – …praticamente empatado com Henrique Alves – Foto Cedidas
Robinson Faria ampliou patamar e esta hoje… – …praticamente empatado com Henrique Alves – Foto Cedidas
Parceria entre o Instituto Certus Pesquisa e Consultoria LTDA. e o jornal GAZETA DO OESTE traz mais uma pesquisa com foco nas campanhas majoritárias estadual e nacional, com números que indicam a situação eleitoral dos principais candidatos à Presidência da República, Governo do Estado e Senado. O trabalho indica ainda a avaliação que os mossoroenses fazem ao governo do prefeito Francisco José Júnior em várias situações.

Na corrida para o Governo do Estado, o candidato a governador Henrique Eduardo Alves (PMDB) continua liderando, porém, pela margem de erro, o candidato Robinson Faria (PSD) está tecnicamente empatado. Na pesquisa espontânea, de acordo com a Certus, a diferença entre os dois candidatos é de 3%, justamente a margem de erro apontada no histórico da sondagem.

De acordo com os números, Henrique tem 18,59%, enquanto Robinson tem 15,33%. Simone Dutra (PSTU), Araken Farias (PSL), Robério Paulino (PSOL) e demais candidatos não alcançaram 1% das intenções de votos. 23,12% não votam em ninguém, 37,94% não souberam responder e 0,50% não responderam.

A margem de erro a pesquisa Certus/GAZETA DO OESTE é de 3% percentuais para mais ou para menos e o intervalo de confiança é de 95%. Isso quer dizer que se forem feitas 100 pesquisas seguindo a mesma metodologia, 95 delas terão o mesmo resultado. A pesquisa ouviu 400 pessoas a partir dos 16 anos das zonas rural e urbana, entre os dias 10 e 12 de setembro.

A amostra da Certus/GAZETA DO OESTE obedece aos critérios de estratificação da população por região, sexo, idade, grau de instrução e renda, a partir dos dados disponibilizados sobre o universo investigado pelo Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte. A pesquisa foi protocolizada no TRE com sob o número RN-00026/2014.

GOVERNO

Henrique Alves – 18,59%

Robinson Faria – 15,33%

Ninguém – 23,12%

Não sabe – 37,94%

Não responderam – 0,50%

(Espontânea)

Fátima abre vantagem de 9% na estimulada

A deputada federal e candidata ao Senado, Fátima Bezerra (PT) está 9,3% à frente de sua principal concorrente, vice-prefeita de Natal, Wilma de Faria (PSB), em Mossoró, de acordo com pesquisa estimulada da pesquisa Certus/GAZETA DO OESTE. Os dados mostram que 33,67% dos entrevistados preferem a candidata petista, contra 24,37% de Wilma.

Na terceira posição, aparece a professora Ana Célia (PSTU) com 2,01%, seguida de Lailson de Almeida (PSOL), com 1,51% e Roberto Ronconi (PSL) que obteve 1,26% das intenções de voto no universo dos 400 entrevistados.

27,14% das pessoas ouvidas disseram que não votam em ninguém, 9,80% disseram não saber e 0,25% não responderam. Assim como para o governo, a margem de erro da pesquisa é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos.

SENADO

Fátima Bezerra – 33,67%

Wilma de Faria – 24,37%

Professora Ana Célia – 2,01%

Lailson de Almeida – 1,51%

Roberto Ronconi – 1,26%

Nenhum – 27,14%

Não sabe – 9,80%

Não responderam – 0,25%

(Estimulada)

Petista lidera também na espontânea

Quando a pesquisa é feita de forma espontânea, a vantagem da candidata Fátima Bezerra cai sobre sua principal concorrente, Wilma de Faria. Ainda assim, ela segue liderando entre os eleitores mossoroenses com vantagem de 5%. Os números indicam que, neste quesito, Fátima aparece com 19,60%, enquanto Wilma tem 14,57% das intenções eleitorais.

Entre os demais candidatos, apenas a professora Ana Célia teve mais de 1% de intenção de voto. 23,62% das pessoas ouvidas disseram que não votam em ninguém e 38,94% estão indecisos.

SENADO

Fátima Bezerra – 19,60%

Wilma de Faria – 14,57%

Professora Ana Célia – 1,01%

Nenhum – 23,62%

Não sabe – 38,94%..

(Espontânea)

Dilma lidera na espontânea e estimulada

A presidente Dilma Rousseff (PT), candidata à reeleição, lidera a pesquisa Certus/GAZETA DO OESTE em todos os quesitos. Na sondagem estimulada, ela tem 39,70% das intenções de voto, contra 22,36% de sua principal concorrente hoje, a ex-senadora Marina Silva (PSB). Aécio Neves (PSDB) aparece com 8,54% das intenções de voto, seguido de Luciana Genro (PSOL) que tem 1,26% e Pastor Everaldo (PSC) que alcançou 1,01% das intenções de votos.

Eduardo Jorge (PV), Eymael (PSDC), Levy Fidelix (PRTB), Mauro Iasi (PCB), Rui Costa Pimenta (PCO) e Zé Maria (PSTU) não alcançaram 1% do eleitorado. 16,33% dos entrevistados disseram não votar em ninguém, 10,30% não souberam responder e 0,25% não quiseram opinar.

Espontânea – Assim como na estimulada, a Dilma Rousseff é a mais citada entre os mossoroenses também na pesquisa espontânea. Dos 400 entrevistados, 31,91% a apontaram como preferida para o dia 5 de outubro. Em seguida, aparecem Marina Silva (18,34%) e Aécio Neves (6,28%). Nenhum dos outros candidatos pontuaram neste quesito. 18,09% disseram não votar em ninguém, 22,11% não sabem em quem vão votar e 0,50% não responderam.

PRESIDENTE

Dilma Rousseff – 39,70%

Marina Silva – 22,36%

Aécio Neves – 8,54%

Luciana Genro – 1,26%

Pastor Everaldo – 1,01%

Nenhum – 16,33%

Não sabe – 10,30%

Não responderam – 0,25%

(Estimulada)

PRESIDENTE

Dilma Rousseff – 31,91%

Marina Silva – 18,34%

Aécio Neves – 6,28%

Nenhum – 18,09%

Não sabe – 22,11%

Não responderam – 0,50%

(Espontânea)

REVISTA ÉPOCA

13 de setembro de 2014 at 09:02

8 respostas para decifrar (por ora) o escândalo da Petrobras
Após denúncias que envolvem nomes ligados ao governo com esquema de corrupção na Petrobras, CPI retoma investigações nesta quarta-feira. Entenda o que está em jogo

Size_80_beatriz-souza
Beatriz Souza
Siga-me
Size_80_talita-abrantes
Talita Abrantes, de

inShare5
Sergio Moraes/Reuters
Petróleo sendo examinado na Petrobras
São Paulo – Da Petrobras aos parlamentares que trabalham na CPI que investiga as irregularidades na estatal, passando por Marina Silva e governo: todos afirmam que querem ter acesso ao conteúdo integral das denúncias feitas por Paulo Roberto Costa, ex-diretor da Petrobras, ao Ministério Público Federal e à Polícia Federal.

Leia Mais

13/09/2014 | CPI pode ouvir ex-diretor da Petrobras, diz STF
12/09/2014 | Produção do pré-sal somou 532 mil bpd em agosto
12/09/2014 | Lula vai dar abraço simbólico na Petrobras
12/09/2014 | CPMI não precisa de autorização para ouvir Costa, diz STF
Segundo relato da revista Veja desta semana, Costa teria afirmado que uma série de políticos ligados ao governo estariam envolvidos em esquema de corrupção na Petrobras.

Na manhã de hoje, o teor das denúncias será pauta de reunião entre o senador Vital do Rêgo (PMDB), que preside a CPI Mista da Petrobras, e outros parlamentares. À tarde, a comissão deve ouvir o também ex-diretor Nestor Cerveró, que, junto com Costa, aprovou a compra da refinaria de Pasadena, no Texas (EUA).

Confira uma seleção de perguntas e respostas que explicam o que está em jogo

O que motivou a instalação da CPI da Petrobras?

A CPI da Petrobras foi instalada por iniciativa de parlamentares de oposição em decorrência de diversas denúncias envolvendo a Petrobras.

Em março, quando a operação Lava-Jato, da Polícia Federal, revelou relações entre o doleiro Alberto Youssef e Costa, ex-diretor de Abastecimento da Petrobras, a gestão da estatal foi posta à prova já que os dois foram presos em uma investigação de um esquema de lavagem de dinheiro que movimentou R$ 10 bilhões.

Por conta disso, a oposição cobrou a instalação de uma CPI para investigar irregularidades. No entanto, devido a divergências entre oposição e governo, há duas investigações em curso desde maio. Uma apoiada pela bancada governista, no senado, e outra mista (com integrantes de ambas as casas), que é defendida pela oposição. As duas CPIs terão prazo de 180 dias para apresentar o relatório final.

O que está sendo investigado?

As CPIs estão investigando irregularidades envolvendo a Petrobras ocorridas entre os anos de 2005 e 2014. Entre os fatos investigados estão a compra da refinaria de Pasadena, no Texas (EUA), o lançamento de plataformas inacabadas, denúncias de pagamento de propina a funcionários da estatal e o superfaturamento na construção de refinarias.

Agência Petrobras / Divulgação

Refinaria da Petrobras em Pasadena
Refinaria da Petrobras em Pasadena
O caso de Pasadena é um dos de maior repercussão. A refinaria no estado do Texas, nos Estados Unidos, foi comprada pela Petrobras por 1,2 bilhão de dólares, em 2007. Pouco antes, seu antigo dono a havia comprado por 42,5 milhões de dólares. Segundo Paulo Roberto Costa, a operação de compra de Pasadena também estava envolvida no mega esquema de corrupção denunciado por ele à PF.

Qual a relação da Operação Lava-Jato com isso?

A Operação Lava Jato da Polícia Federal foi deflagrada no dia 17 de março de 2014, com o objetivo de desarticular organizações criminosas que tinham como finalidade a lavagem de dinheiro em diversos estados do país. Suspeita-se que o esquema tenha movimentado R$ 10 bilhões.

Segundo a PF, 30 pessoas foram presas na operação, entre elas o doleiro Alberto Youssef e o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, suspeito de receber propina de Youssef para faciltar negócios na estatal.

A investigação revelou que Youssef deu uma Range Rover Evoke no valor de R$ 250 mil para Costa em 2012. Ao ir mais fundo na investigação, a PF descobriu uma série de negócios suspeitos com obras e serviços pagos com dinheiro da Petrobras.

Afinal, quem é Paulo Roberto Costa?

Funcionário de carreira da Petrobras, Costa é engenheiro mecânico formado pela Universidade Federal do Paraná e, segundo o jornal O Globo, mantém vínculos estreitos com o PP e PMDB.

Entrou na Petrobras em 1977 para trabalhar na área de exploração e produção de petróleo. Chegou ao cargo de diretor da Petrobras Gás (Gaspetro) em 1997. Em 2001, assumiu a Gerência Geral de Logística da Unidade de Negócios Gás Natural da Petrobras. Em 2003, virou diretor-superintendente da Transportadora Brasileira Gasoduto Bolívia Brasil.

Geraldo Magela/Agência Senado
Ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa durante depoimento na CPI que investiga denúncias de corrupção na estatal
Ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa durante depoimento no Senado

Em maio de 2004, assumiu a diretoria de Abastecimento da estatal. O que significa que ele atuava diretamente nas decisões de compra de refinarias, aluguel de plataformas e navios, ou manutenção de gasodutos, como relata a revista Veja desta semana.

Com a chegada de Maria das Graças Foster à presidência da Petrobras, Costa deixou o cargo.

Em depoimento na CPI mista, Costa teria negado participação no esquema de corrupção e qualquer envolvimento com Yousseff.

No entanto, graças a um esquema de delação premiada (que pode reduzir a pena de criminosos caso denunciem comparsas), Costa colocou a boca no trombone. E, em 40 horas de depoimento, revelou a lista de nomes envolvidos no esquema.

Por que a própria CPI está sendo investigada?

Segundo reportagem da Revista Veja publicada na primeira semana de agosto, a atual presidente da Petrobras Maria das Graças Foster, o ex-presidente da empresa José Sergio Gabrielli e o ex-diretor da Área Internacional Nestor Cerveró receberam com antecedência as perguntas que seriam feitas durante a CPI do Senado.

Antonio Cruz/ABr

A CPI da Petrobras no Senado ouve a presidenta da estatal, Graça Foster
A CPI da Petrobras no Senado ouve a presidenta da estatal, Graça Foster
No dia 6 de agosto, foi aberta uma sindicância para apurar a suposta fraude. Na última quinta-feira, o prazo para conclusão das investigações foi prorrogado.

O que as novas denúncias trazem à tona?

A revista VEJA desta semana divulgou uma lista de políticos que estariam envolvidos no esquema de corrupção na Petrobras.

Entre os nomes listados por Costa, ex-diretor da estatal, estão o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão (PMDB) e os presidente do Senado e Câmara dos Deputados Renan Calheiros (PMDB) e Henrique Eduardo Alves (PMDB).

Eduardo Campos (PSB) e Sérgio Cabral, ex-governadores de Pernambuco e Rio de Janeiro, respectivamente, também foram citados pelo ex-diretor.

Além deles, a governadora do Maranhão, Roseana Sarney (PMDB) e Mário Negromonte (PP), ex-ministro das Cidades do governo Dilma aparecem na lista a que Veja teve acesso. Veja quais são os outros listados.

Propina
Quem são 11 dos envolvidos no esquema da Petrobras

Segundo revista Veja, nomes foram citados por ex-diretor da estatal Paulo Roberto Costa em depoimento

Agência Petrobras

Ex-diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa, afirmou que mais de 30 políticos estão envolvidos no esquema de propina da Petrobras

São Paulo – Segundo depoimento do ex-diretor de Abastecimento e Refino da Petrobras, Paulo Roberto Costa, mais de 30 políticos estariam envolvidos no esquema de propina da estatal.

Costa foi preso pela Polícia Federal em março sob a acusação de participar do esquema de lavagem de dinheiro comandado pelo doleiro Alberto Youssef.

O ex-diretor fez recentemente um acordo com a Justiça de delação premiada. Conheça 11 dos envolvidos no esquema da Petrobras, segundo a Veja:

Segundo a revista, o dinheiro pago por empreiteiras para ter acesso aos contratos da Petrobras era, depois de lavado por doleiros, distribuído entre políticos e partidos da base de sustentação do governo.

A lista de envolvidos só tinha 11 nomes?

Não. Segundo VEJA, a lista continha ao menos 25 deputados, três governadores, seis senadores e um ministro. Como se vê, os nomes dos governadores e ministro já foram revelados.

Como isso esquenta o debate eleitoral?

A revelação dos nomes coloca mais lenha na fogueira eleitoral e pode jogar faíscas tanto na imagem de Dilma Rousseff quanto na de Marina Silva, herdeira política de Eduardo Campos, citado na delação. No sábado, em vídeo postado no Facebook, o candidato Aécio Neves (PSDB) classificou o esquema como “Mensalão 2″. “É o governo do PT patrocinando o assalto às nossas empresas públicas para a manutenção do seu projeto de poder”, disse.

Comparando os dois casos, em reportagem publicada na segunda-feira, a revista The Economist afirmou que Dilma pode não ter a mesma sorte do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. “Lula teve um ano para se livrar do mau cheiro, desta vez, a titular tem apenas um mês antes das eleições”, disse.

Apesar disso, pesquisa da CNT/MDA feita em meio às denúncias no final de semana mostra um cenário diferente do previsto: a aprovação ao governo Dilma e o número de pessoas que declararam voto à presidente subiu em duas semanas

ROBINSON FARIAS ESTARÁ DOMINGO 14 EM BARAÚNA

13 de setembro de 2014 at 00:38

O candidato a governador pelo PSD estará domingo 14 visitando Baraúna, chegará ás 9 horas da manhã e em carreata circulará por diversas ruas da cidade, terminará no Mercado Central, onde falará ao povo de Baraúna, receberá do presidente da Câmara de Vereadores um documento reivindicatório sobre problemas da cidade, na segurança a criação de uma companhia de polícia para Baraúna por se uma cidade de fronteiras, na educação uma escola técnica para formar profissionais nas áreas de irrigação e minérios, ginásios poliesportivos para escolas estaduais, adutoras ligando poços profundos desativados com comunidades onde hoje falta água, estrada do Melão, segundo e terceiro trecho, ligando a Maisa a Estrada do Cajueiro, viabilizando a ICAL e mais outras empresas produtoras de cal industrial, formando também um cinturão verde para nossa irrigação, a duplicação da RN 015, enfim Baraúna espera de Robinson muito, pois confia em seu governo, Baraúna será um município que dará uma expressiva vitória de Robinson Farias nas urnas em 2014.

HÉLIO FERNANDES

12 de setembro de 2014 at 14:38

CONVOCARAM O EX-DIRETOR, DARÁ APENAS UM “PASSEIO”. O MINISTRO DO SUPREMO, NÃO PASSOU NEM PERTO DA DELAÇÃO PREMIADA
12.9.14
HELIO FERNANDES –

A baixaria da campanha de Dona Dilma contra Dona Marina, é de estarrecer. Tudo inverdade, nada surpreendente vindo de quem vem. Mas tudo o que Dona Dilma e seus mitingueiros dizem, é “malfeito”, boato, falso de desmentir, mas fácil de permitir que muita gente acredite.

Banco Central – Dona Marina prega e defende (e diz que ela e Eduardo Campos conversavam muito sobre o assunto) da independência desse banco, com mandato fixo para o seu presidente. Já informei e revelei mandato fixo, só com emenda constitucional. Vem a “tropa” de Dona Dilma e diz: “A candidata do PSB que entregar o BC ao Banco Itaú”. (difícil tratar do assunto, parece que defendo o Itaú ou qualquer outro banco).

Privatização da Petrobras. Outro boato que não tem como se sustentar, ninguém, mesmo querendo conseguirá isso. FHC que foi o maior DOAR (a palavra é essa) das riquezas nacionais, entregando quase todas e recebendo em “moedas podres”, um escândalo, queria entregar a Petrobras. Não teve coragem.

Criou então os “leilões” lesivos á empresa, e teve como “seguidora entusiasmada” a própria Dona Dilma. Desde que era Chefe da Casa Civil até lamentavelmente chegar á presidência. Agora “patrocina”, mas boataria sobre o assunto, Mas em oito anos não soube nada da corrupção na empresa.

Marina-Dilma: ligação com bancos

Dona Dilma já recebeu mais de 9 milhões dessa banqueirada para a campanha. Dona Marina agora ultrapassou um pouco os quatro milhões. Semana passada, Dona Dilma autorizou os bancos, coletivamente, a cobrarem juros de 43 por cento. É muito.

Sem falar que no cheque especial e nos cartões de crédito, esses juros chegam de 180 a 250 por cento. É roubalheira, eles dizem que “é juro sobre juro”. Que todos aprendem na escola primaria, mas esses esquecem. E essa “herdeira do Itaú”, (só chamam assim) contribuiu para a campanha do prefeito Haddad, e Dona Dilma não se lembra.

A “gerentona” fracassada

Uma coisa os mitingueiros oficiais não conseguem emplacar de jeito algum: a eficiência e a competência política e administrativa da presidente. O próprio Lula “chora e se lamenta” no Instituto que leva seu nome, E pergunta para ele mesmo e dessa forma, fica sem resposta: “Como é que eu fui me enganar tanto e acreditar que a Dilma fosse tão boa gente:”. Lula, como sempre, não sabia de nada.

O atual Ministro Lobão é dos mais acusados e atingido na delação premiada do ex-diretor da Petrobras. Já foi acusado várias vezes, nunca trabalhou na vida, como pé que pode ostentar tanto e com tanta visibilidade? Não acontecerá nada a ele. Em vez de ser demitido, saiu de ferias.

Foi para o aeroporto de Ferrari a mesma que usa ha muito tempo em Brasília. Sabe que nada acontecerá, sua imunidade é eterna, seus 77 anos valem mais que qualquer coisa. Único problema: é senador até 2018, o filho, seu suplente está perdendo no Maranhão. Quem ficará com o mandato?

A CPI convocou Paulo Roberto

Ele vai, pode ficar em silencio, não dizer coisa alguma, ninguém pode obriga-lo. Seu depoimento para ver se ontem à tão almejada delação premiada. Nada a ver com as duas CPIS, que estavam inteiramente fechadas, só acordaram agora para intimida-lo. Foi ordem de Dona Dilma, ansiosa de saber até onde ele vai, e quais serão os próximos acusados.

O que Dona Dilma pretende saber: eleitoralmente ela será atingida? Ou apenas chamuscada? Lógico, o ex-diretor dará “um passeio” na CPI, voltará para terminar o que começou.

A autorização neutra do Ministro do Supremo

Relator do processo sobre as acusações ao ex-diretor da Petrobras, Teori Zavaski precisava ser ouvido para permitir ou negar que o Congresso tomasse conhecimento do depoimento de Paulo Roberto no pedido de delação premiada.

Tem suficiente tempo de Ministro (no STJ e agora no Supremo), para saber que não tem poderes para invadir a área que esta sendo ocupada soberanamente pelo Ministério Público e pela Policia Federal.

Muitos vibraram, equivocadamente, com a convocação para a CPI e a decisão do Ministro do Supremo. Este autorizou que deputados e senadores “tomassem conhecimento da investigação da operação lava-jato”. Bem longe do depoimento a respeito da delação premiada.

Também não haverá mais “vazamento” de informação. O que pretendiam obter em matéria de repercussão, já obtiveram. Agora, para Dona Dilma, se houver “entrelaçamento” das revelações com a campanha eleitoral. Como se isso valesse alguma coisa.

Arruda, “não” candidato

Jamais me passou a ideia de que poderia disputar de verdade, o governo do Distrito federal. Começou aparecer a relevância de “ficha suja”, quando renunciou no senado parta não ser cassado. Esperava-se que fosse seu fim, engano total, era apenas o início.

Disputou o governo do distrito federal, se elegeu, não terminou o mandato. Motivo: foi preso em flagrante recebendo dinheiro, com direito a vídeo e gravação. Cassado e preso, foi para a Papuda, de lá articulou nova candidatura ao mesmo governo do qual fora expulso, Apareceu nas pesquisas disparado na frente apesar da corrupção.

Vetado, continuou a campanha. Agora, o STJ, novamente determinou, “está inelegível”. Falta um recurso, para o Supremo, é evidente que ficara inelegível para sempre.

Como o governador que pretende a reeleição, Agnelo Queiroz, está com 46 por cento de rejeição, é a oportunidade de eleger o senador Rollemberg, um cidadão acima de qualquer suspeita.

Independência da Escócia

Mais um plebiscito sobre separação do país, que não quer fazer mais parte da Grã—Bretanha. Nenhuma ostilidade, quase todos “querem um país para chamar de seu”. Praticamente sem saberem, imitam o grande Benjamin Franklin.

Um dos grandes da Independência e da República, chegou a sua vez de ser presidente da República. Indicado e convidado, recusou sem nenhuma arrogância. Disse apenas: “Não quero ser presidente, lutei para ter um país que pudesse chamar de meu. Quero continuar com as minhas invenções”.

Politicamente, desta vez a separação parece consolidada, a Grã-Bretanha sabe disso, quer permanecer como reino Unido. E faz propostas e mais propostas. Economicamente e financeiramente é que podem surgir obstáculos. Muitos se perguntam entre si: “Vamos piorar de vida? Manteremos o nosso nível de hoje?”.

Essa é uma pergunta sem resposta, pelo menos antecipada. A Escócia tem grandes reservas de Petróleo, saberá administra-la? Em outros pontos também se prevê falhas por causa da falta de experiência. O sentimento de liberdade e independência, pé quase invencível. Mas o nível de vida é hoje, o melhor da Grã-Bretanha, será mantido:

PS- Edson Arantes sempre faz questão de contrariar Pelé, e até desmenti-lo ou envergonha-lo. Ficou calado por quinze dias, era o maximo que aguenta ou aguentava longe dos holofotes.

PS2- Não resistiu, falou: “O aranha exagerou nos protestos contra o racismo, devia ter ficado calado”. Está sempre julgando os outros, exagerando nas criticas. Sem admitir que o jogador tenha ficado com a sensibilidade abalada.

PS3- No Campeonato Mundial de Vôlei, o Brasil venceu ontem a China, facilmente. Sétimo jogo, sétima vitória, perdeu em todos esses jogos, apenas dois sets

TRANSCRITO DO BLOG DE VALDECY DOS SANTOSJÚNIOR

12 de setembro de 2014 at 14:20

Briga de foice no escuro para deputado federal no RN…

Avaliamos cinco pesquisas nos últimos dois dias, pesquisas que algumas foram publicadas e outras não, analisamos a situação delicadíssima que se encontra a disputa da chapa proporcional para Deputado Federal no RN, é disputa essa que vai deixar muita gente “grande” do lado de fora. Não custa lembrar que o RN tem apenas oito cadeiras de Deputado Federal no Congresso Nacional. Na coligação “União pela Mudança”, que apoia o candidato ao Governo Henrique Eduardo Alves, temos um verdadeiro “UFC”, a coligação conta com candidatos do PMDB, PSB, PR, PROS, DEM, SDD, PDT, PV, PMN, PRP, PSC, PSDB, PSDC e PRB – os principais nomes da disputa à Câmara Federal irão brigar entre si por cinco vagas diretas podendo fazer um sexto eleito dependendo do coeficiente.

De acordo com os cruzamentos que fizemos nas cinco pesquisas, estariam eleitos hoje por quantidade de citações nessa coligação os candidatos: Walter Alves, Felipe Maia, Zenaide Maia, Rafael Mota.
Agora começa a tensão, restariam uma ou no maximo duas vagas para os seguintes candidatos: Sandra Rosado , Fafá Rosado, Sávio Hackret, Rogério Marinho, Antônio Jácome e Abrãao Lincon.
A quantidade de citações que o Dep. Paulo Wagner tem tido não entraria na disputa com os seis nomes acima.
RESUMO: Desses seis nomes, quatro ou cinco irão ficar de fora, é briga de cachorro grande ou não?

Na coligação liderada pelo candidato ao Governo Robinson Faria (PSD), que tem PSD, PT, PC do B, PT do B, PP, PEN, PRTB e PTC – os principais nomes da disputa à Câmara Federal irão brigar entre si por duas vagas diretas podendo fazer um terceiro eleito dependendo do coeficiente, possibilidade remota, mas que pode acontecer perfeitamente. De acordo com os cruzamentos que fizemos nas cinco pesquisas, estariam eleitos hoje por quantidade de citações nessa coligação os candidatos: Fábio Faria e Betinho Segundo. Brigariam por uma possível terceira vaga os candidatos Adriano Gadelha, Carlos Alberto e Eraldo do PT.

A coligação “Sem mudança não há esperança”, formada pelo PHS, PPS, PTB e PTN e que também apoia o candidato Henrique Alves, não tem um nome mais representativo para entrar nessa disputa política. O PSOL, PSTU e PSL também não tem possibilidade de eleger um Deputado Federal.
É importante ressaltar, que esse resultado é em cima de cinco pesquisas analisadas que o BlogdoBG teve acesso até a data de 10 de setembro de 2014.
Por esses números, estariam eleitos hoje por ordem de citações nas pesquisas e cruzamentos de coligação: Fábio Faria, Walter Alves, Felipe Maia, Zenaide Maia, Rafael Mota e Betinho Segundo.
Disputariam duas vagas os seguintes candidatos: Sandra Rosado, Fafá Rosado, Sávio Hackret Rogério Marinho, Antônio Jácome e Abrãao Lincon, Adriano Gadelha, Carlos Alberto e Eraldo do PT.

COLUNA DE HÉLIO FERNANDES

10 de setembro de 2014 at 16:24

A FARSA DA HISTORIA DO BRASIL. A INDEPENDÊNCIA, ABOLIÇÃO E A REPÚBLICA, TUDO ENTRE ASPAS CHEGAMOS Á “DELAÇÃO PREMIADA”. ESPERAMOS QUE SEM ASPAS E SEM IMPUNIDADE
10.9.14
HELIO FERNANDES –

Incautos, ingênuos, informados ao contrário, festejaram o sete de setembro, a fraude da independência. Não devem esquecer de abrir champanhe para a fraude da abolição, a fraude da República, a fraude da democracia, conspurcada por 125 anos de ditadores com ligeiras interrupções.

Os empresário principalmente da “Casa Grande e Senzala” (Gilberto Freire), os senhores dos escravos, quase todos usineiros, ganharam 9 meses de “prorrogação”, com a Lei do Ventre Livre”,onde a Princesa Isabel assinou enquanto o pai se divertia na Europa.

O Sete de Setembro transferiu para Portugal, com um brasileiro de “menoridade”, toda a fortuna que Cabral havia descoberto por acaso. Como não éramos independentes, ficamos na mesma situação, escravos da exploração portuguesa, da forma ultrajante como os outros de pele negra, que eles mesmos importaram, exploraram enriqueceram.

Foi a primeira derrota daquela belíssima geração, que um ano depois perderia a República, exatamente no momento em que acreditavam na vitoria, no progresso, na conquista. Foram surrupiados por dois marechais cavalarianos, que mal podiam subir no cavalo.

Já envelhecidos, incompetentes, sem credibilidade, abriram caminho para o domínio dos militares. Por causa de Floriano e Deodoro, a República nasceu militar, militarista e militarizada e jamais usou roupa civil.

Como consequência estamos completando 125 anos da fraude da democracia, Não saímos do lugar, o que está na bandeira, “Ordem e Progresso”, é uma iniquidade. Deviam colocar pelas mãos dos próprios militares, “Desordem e Retrocesso”. Pelo menos seria mais coerente.

Façam as contas. Desperdiçamos 41 anos da “republica velha”. 15 anos da primeira ditadura. 10 anos de 45 a 55 quando o ditador foi derrubado, deixou a “vida para entrar na história”. Mas depois o Brasil continuou no mesmo desencontro com suas aspirações. Fomos sempre o “país do futuro”, só que esse não chega nunca.

Em 1956 veio Juscelino que governou o tempo inteiro, nos bastidores as coisas eram diferentes. Depois de JK, os sete meses do “trefego peralta”, (Janio Quadros) que queria mais poderes mas trouxe poderes apenas para os generais. Sem falar nos tumultuados tempos de João Goulart. Todos falsos e incompetentes.

Agora, a realidade: a delação premiada

Somando tudo, chegamos a 98 anos, se contarmos pelo alto. Assim dos 125 anos sobram naturalmente 27. E se colocarmos o impeachment, a redução do mandato operada por FHC, que tinha certeza que perderia para Lula, No Poder, rasgou a Constituição, comprou a reeleição. Não pode ser incluído em nenhum mensalão, pagou a vista.

Agora surgiu esse diretor da Petrobras, que movimentou 10 bilhões como diretor de abastecimento da Petrobras. Nem precisava ser esclarecido, para saber que no Brasil, ninguém movimenta 10 bilhões da maior empresa do Brasil, sem ter que jogar uma parte por aqueles janelões da Avenida Chile.

Há mais de 50 anos, Ademar de Barros, interventor e governador de São Paulo, consagrou o “rouba mas faz”. Morreu de morte natural, enquanto o cofre com dinheiro que deixou para a amante, (“doutor Rui”) entrou na história. Pela verdade, e pela mentira dos que se rotularam como autores, e participantes do roubo, estavam bem longe.

Paulo Roberto Costa: quem sabe faz a hora

Foi diretor da Petrobras. Ficou de 2004 a 2012, num dos cargos mais cobiçados, desejados e mais prodígios em facilidades, e ninguém soube de nada? Oito anos acumulando fortunas, tendo como chefe na Casa Civil e no Conselho da própria Petrobrás, quem pode acreditar que ela não saiba de nada, e ainda tentou se absolver pela tangente e pela contradição:”Só assinei a autorização para a compra (o grande escândalo destes tempos escandalosos) de Pasadena, textual: “Porque o relatório era falso e sem informação”.

Devia ter sofrido o impeachment ou a renuncia para não ser punida, como aconteceu com Nixon em 1974. Sua afirmação e participação no escândalo de Pasadena, não precisava nem precisa de investigação. A declaração de Dona Dilma é a mais perfeita e completa c-o-n-f-i-s-s-ã-o.

Paulo Roberto tem que estar coberto de provas e documentos

Antes de fazer a proposta da “delação premiada”, tentou conversar de todas as formas, inclusive com sua antiga chefe, para ver se conseguia se livrar, sem atingir, implicar ou envolver ninguém. Não quiseram recebê-lo, foi ignorado de todos os modos.

Assim só lhe restou o caminho que tomou. Seu advogado começou a conversar (é obrigação do advogado defender e inocentar seu cliente) com as pessoas certas, encontrou receptividade.

Mas com a ressalva-exigência: “Queremos ver as provas”. Resposta do advogado: “Mostro cópias, constatarão que não estamos nos arriscando nem fingindo ou mentindo”. Gostaram, consultaram superiores, aceitaram.

E começaram os depoimentos. que está sendo “vazado” (desculpem pela palavra, é obrigatória), é o mínimo dos mínimos. Por enquanto, todos os 42 nomes citados, são os rotineiros da corrupção.

Nessa relação enorme de nomes, só uma surpresa: “Eduardo Campos. Já contei que Paulo Roberto e o advogado examinaram cuidadosamente vantagens e desvantagens de incluir o antigo candidato, atingido pela tragédia. Decidiram que não podiam excluir seu nome, duas vezes vítima do avião. Pelo desastre do acidente, e o fato do avião “pertencer” a laranjas.

PS- Para terminar, por hoje, por hoje. Não consegui saber o limite das acusações feitas por Paulo Roberto. O que me insinuaram sem afirmar: ele deixaria para o fim, nomes mais graduados e tidos como inatingíveis.

PS2- Faltam apenas 23 dias para a eleição, o pânico é geral, afetando principalmente as duas mulheres candidatas. Se forem atingidas daqui para a frente, terão pouco tempo para a defesa.

PS3- Dentro de 20 dias acaba o horário eleitoral. Já perguntei: quem terá coragem de enfrentar o assunto na televisão? Dona Dilma em 12 minutos, Dona Marina em 2. Aécio está tão longe , que não pode nem aproveitar o episódio.

PS4- É possível que de um momento para outro, de improviso, Marina ou Dilma, decidam ir à televisão, me apanhando na contramão. É o jogo jornalístico.

PS5- De qualquer maneira, leviandade e irresponsabilidade, admitir que o ex-diretor de Petrobras por oito anos, ter proposto a “delação premiada”, sem documentos ou documentos falsos.

PS6- Se fizessem isso, não ganharia coisa alguma, a pena que receberia se ficasse em silêncio seria dobrada, no mínimo, se o depoimento fosse uma farsa.

PS7- De hoje até a eleição, os votos de Dilma ou Marina podem vir ou sumir da prisão onde está o ex-diretor e não das pesquisas ou das urnas.

PS8- Renan, Henrique Eduardo e o ministro Lobão, não foram ao palanque do Sete de Setembro. Passaram recibo nas denuncias do diretor da Petrobras.

COLUNA DE TÚLIO LEMOS

10 de setembro de 2014 at 15:57

Postado dia 09/09/2014 às 18h03 por: Tulio Lemos
DEPOIMENTO – Túlio Lemos
O depoimento de Paulo Roberto Costa, ex-diretor da Petrobras, ainda não é de conhecimento público, mas já fez estrago grande em várias partes do País. Houve apenas a revelação de nomes que seriam beneficiários do esquema de corrupção na estatal. Detalhes poderão vir a partir de agora.

OFICIAL

A CPI da Petrobras quer ter acesso ao depoimento oficial prestado pelo ex-diretor ao Ministério Público Federal. Terá. Não há como segurar. A partir daí, o detalhamento será tornado público, o que servirá para esclarecer se há conteúdo nas acusações ou leviandade.

DETALHAMENTO

Consta do depoimento do ex-diretor da Petrobras, todo o detalhamento de como ocorria a entrega da propina, com dados, nomes de quem recebia, valores, locais e a motivação para cada um receber determinada quantidade de dinheiro. Com esse detalhamento, quem for citado, está liquidado politicamente.

VÍTIMA

O deputado Henrique Alves tem todo o direito de se defender das acusações feitas pelo ex-diretor da Petrobras. Porém, sua postura de vítima em busca de alguém que tenha motivo para persegui-lo, não bate com a realidade. O fato nasceu na imprensa nacional e permanece por lá. No RN, só desconhece o tema quem tem interesse em fazê-lo para cumprir seus objetivos.

INVESTIGAÇÃO

O Supremo Tribunal Federal vai abrir investigação contra os parlamentares citados no esquema de corrupção da Petrobras. Como deputado tem foro privilegiado, é necessário que o STF determine a abertura de uma investigação oficial, que deve ser feita pela Polícia Federal. O deputado Henrique Alves vai entrar na reta final da campanha na condição de investigado pela PF.

CAMPANHA

O nome de Henrique permanece no noticiário nacional negativo e isso também tem conseqüências na eleição do RN. Achar que o envolvimento de um candidato a governador em escândalo nacional não terá nenhum tipo de influência no sentimento do eleitorado, é desdenhar da inteligência. A intensidade com que o escândalo vai afetar a candidatura de Henrique é que, por enquanto, é impossível prevê.

NOMES

Por enquanto, o nome de Henrique foi o único do RN a aparecer no escândalo de corrupção na Petrobras. Mas há possibilidade de sair o nome de outro parlamentar no esquema, com o detalhamento do depoimento de Paulo Roberto Costa.

ELEIÇÃO

Aliados e adversários de Fátima Bezerra chegam ao um consenso diante do atual momento vivido pela deputada petista: Só há uma possibilidade de Fátima não ser eleita senadora, derrotando Wilma de Faria: É seu nome aparecer na delação premiada como acusada de recebimento de propina. Sem isso, Wilma continua vice-prefeita de Natal.

BENEFICIÁRIA

A presidente Dilma Rousseff está sendo atingida pelo escândalo da Petrobras. Porém, seus adversários não têm conseguido vincular o nome da presidente diretamente ao esquema financeiro, como beneficiária do dinheiro sujo. Não deixa de ser uma vantagem, diante do vendaval negativo que o fato pode provocar em sua campanha.

LÍNGUA

Segundo Sherloquinho, após uma viagem ao Seridó, com parada estratégica em Jucurutu, o ‘língua de aluguel’ voltou ao gramado eleitoral. Tem que fazer jus ao que recebe.

DECLARAÇÃO

O presidente do Sindicato dos Médicos, Geraldo Ferreira, declarou apoio ao deputado Henrique Alves. Seu apoio deve ser respeitado e soma para a campanha de Henrique. O problema é que Geraldo está desgastado com a categoria, justamente por usar a instituição como se fosse propriedade particular.

URBANA

Sherloquinho andou hoje pela audiência pública realizada para discutir a nova licitação da Urbana e não ficou satisfeito com o que viu e ouviu. Segundo Sherloquinho, a Urbana vai licitar novamente 3 lotes e aumentou o valor de novo. Parece que a turma não aprendeu.

ESTRANHO

Do jornalista Jânio Vida, no Twitter: “Estranho país o Brasil, onde uma candidatura decola com queda de avião e outras podem implodir com a explosão de um escândalo de corrupção”.

GOLPE

Da governadora Rosalba Ciarlini, em Mossoró: “O golpe foi duro. Principalmente porque a traição, a punhalada nas costas, veio de quem eu nunca esperei. Veio de quem eu defendi e fui leal até a última hora”

FOLHA DE SÃO PAULO

10 de setembro de 2014 at 15:50

Postado dia 10/09/2014 às 15h27 por: Portal JH
Diretório comandado por Alves embolsou R$ 5 milhões da OAS e Queiroz Galvão
Candidato do PMDB ao governo do RN recebeu dinheiro de empresas envolvidas na corrupção da Petrobras
hENRIQUE_10_09

A OAS e a Queiroz Galvão, empresas envolvidas no suposto esquema de desvio de dinheiro da Petrobras, doaram R$ 5 milhões para o Diretório Estadual do PMDB, presidido pelo candidato a governador Henrique Eduardo Alves. E, desse valor, mais de R$ 1 milhão foram repassados a campanha do próprio Henrique. A informação foi veiculada na manhã de hoje pelo portal de notícias Universo Online, do Grupo Folha de S. Paulo. Foram R$ 3 milhões da OAS e R$ 2 milhões da Queiroz Galvão.

Henrique foi citado ao lado do presidente do Senado, Renan Calheiros, como suposto beneficiário de propinas pagas com sobra de recursos oriundos de contratos bilionários superfaturados da Petrobras. Ao todo, o ex-diretor da Petrobras afirmou, em depoimento, segundo a revista, que 12 políticos estiveram envolvidos em esquema de corrupção na estatal. Além de Henrique e Renan, foram citados o ex-governador do RJ, Sérgio Cabral, a governadora do Maranhão, Roseana Sarney, o tesoureiro nacional do PT, João Vaccari, o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, o ex-ministro das Cidades, Mário Negromonte, e os senadores Ciro Nogueira e Romero Jucá, e os deputados Cândido Vacarrezza e João Pizzolatti.

Procurado pela reportagem do UOL, Henrique Alves e seus assessores não atenderam às ligações. Ontem, ele usou seu programa eleitoral na TV para rebater as acusações de envolvimento em um suposto esquema de corrupção na Petrobras. “Não existe ali nenhuma denúncia contra mim fundamentada em provas, documentos ou testemunhas”, disse. Segundo reportagem publicada pela revista “Veja” no último sábado 6, o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa, afirmou, em delação premiada a procuradores federais, que políticos do PMDB, PP, PT e PSB receberam propina de empreiteiras que firmaram contratos com a estatal – entre elas, OAS e Queiroz Galvão. O montante que teria sido desviado da estatal apenas para propinas chegaria a 3% dos contratos – cifras bilionárias.

Diversas construtoras investigadas na Operação Lava Jato da Polícia Federal fizeram doações de campanha, a exemplo da OAS, Queiroz Galvão, UTC Engenharia, Camargo Corrêa, Engevix e Galvão Engenharia. Além de Henrique, outros nomes revelados na delação foram associados a doações de campanha. Cândido Vaccarezza, candidato à reeleição, recebeu diretamente R$ 150 mil da UTC. “Sou amigo há muitos anos do dono da UTC. Ele já doou para mim na outra eleição (de 2014). A UTC doa para todo mundo, pode ver. Não estou sendo investigado e não tenho nada com o Paulo Roberto Costa”, disse ao UOL.

Herdeiro político de Sérgio Cabral, Luiz Fernando Pezão, candidato ao governo do Rio de Janeiro, recebeu, por meio do comitê de campanha, R$ 3 milhões da OAS e R$ 1,5 milhão da Queiroz Galvão. Filho de Renan Calheiros, o candidato ao governo de Alagoas Renan Filho (PMDB) recebeu, ao todo, R$ 2,8 milhões das empreiteiras investigadas –R$ 1,6 milhão da OAS, R$ 500 mil da UTC, R$ 457 mil da Camargo Corrêa e R$ 230 mil da Queiroz Galvão.

Já o diretório alagoano do PMDB recebeu R$ 7,6 milhões –R$ 3,3 milhões Camargo Corrêa, R$ 2 milhões da OAS, R$ 1,8 milhão da Queiroz Galvão e R$ 500 mil da UTC. O senador Romero Jucá não é candidato, já que possui mais quatro anos de mandato. A direção do PMDB em Roraima, Estado do parlamentar, recebeu R$ 600 mil em doações da OAS. Mesma situação ocorre com o senador Ciro Nogueira. O diretório do PP no Piauí ganhou R$ 500 mil da OAS.

O deputado João Pizzolatti Filho desistiu de tentar a reeleição após ter a candidatura impugnada pela Justiça Eleitoral. O filho dele, João Pizzolatti Neto (PP-SC), indicado pelo pai para disputar uma vaga na Câmara, recebeu R$ 100 mil da OAS, mais da metade do total que já arrecadou em doações (R$ 178 mil). Mário Negromonte não disputará nenhum cargo, mas seu filho, o deputado estadual Mário Negromonte Jr. (PP-BA), que concorre ao cargo de deputado federal, recebeu R$ 200 mil da OAS e R$ 100 mil da UTC.

Aliados do presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Alves, candidato do PMDB ao governo do Rio Grande do Norte, silenciaram na manhã de ontem sobre a citação do nome do aliado na delação do ex-diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa, conforme revelado pela revista Veja. O presidente do DEM, senador José Agripino Maia, o deputado federal Felipe Maia (DEM), o deputado federal João Maia, presidente estadual do PR, e a vice-prefeita de Natal, Wilma de Faria, presidente estadual do PSB, preferiram não abordar o tema, considerado delicado para a campanha do candidato peemedebista.

OUTRO LADO

O senador Ciro Nogueira, presidente nacional do PP, afirmou que não há irregularidade em receber doações de empreiteiras suspeitas de pagar propina a políticos de sua sigla. “Todas as doações são legais. Não vejo o menor obstáculo para essas doações. Não vejo diferença em receber de empreiteira, banco, mineradora, empreiteira, montadora. O grande câncer das eleições é o caixa dois.”

Henrique Alves e seus assessores também não atenderam às ligações feitas pela reportagem. Ontem, ele usou seu programa eleitoral na TV para rebater as acusações de envolvimento em um suposto esquema de corrupção na Petrobras.”Não existe ali nenhuma denúncia contra mim fundamentada em provas, documentos ou testemunhas”, disse. A reportagem ligou na noite desta terça-feira (9) para os diretórios estaduais do PP na Bahia e em Santa Catarina, mas ninguém atendeu aos telefonemas. No gabinete de Negromonte Jr. ninguém foi localizado.

Procuradas, OAS, UTC, Camargo Corrêa, Queiroz Galvão, Engevix afirmaram que todas as doações seguem a legislação eleitoral. A Galvão Engenharia não respondeu ao contato feito pela reportagem. Sobre as investigações, a Camargo Corrêa afirmou que “já esclareceu anteriormente que não fez pagamentos a empresas com quem não tenha contratos legalmente estabelecidos e executados, muito menos com fins de repasse a políticos

LUCIANA SOLITÁRIA NO PODER

10 de setembro de 2014 at 07:40

O casal Gilson Professor e Luciana Oliveira estão solitários no poder, pilares da sua campanha de 2012 como Edson Barbosa, Valdecy dos Santos Júnior, Tobetee Daniel Pereira e uma tagama de eleitores estão rompidos com o governo, eleitores sem rosto que votaram em Luciana estão desapontados, o pior desempenho do governo é na área de saúde, e quem mais desagrega no governo é o super secretário Adjânio Bezerra, tem ainda muitos que estão no governo, mas estão só comendo como se diz em Baraúna, não vestem a camisa do governo nesta eleição, não apoiam os candidatos de Gilson na propocional e não trabalham a chapa de Henrique e Vilma, o professor não está nem ai para campanha e no momento se não veio se apresentar no Fórum está no Rio de Janeiro curtindo férias, tem ainda a parte técnica do governo que não está nem ai para política, quanto a judicialização ela não acabou, vem o julgamento do mérito, se Isoares for absolvido e Luciana condenada, Isoares fica na prefeitura e se os dois forem condenados haverá novas eleições e tudo isto pode acontecer até dezembro, na Promotoria de Justiça o que tem contra o governo de Luciana já dá para várias condenações, o processo que está mais adiantado não corre na Promotoria de Baraúna, está a cargo de Eduardo Medeiros e um grupo de promotores, é o processo da compra de 780 mil reais de livros sem licitação e sem a provável entrega do material em Baraúna, Isoares me disse que fez os cálculos e seria um carreta carregada de livros e não se tem notícia desta carreta na cidade, a empresa que vendeu os livros é de fora do estado e não tem suporte para uma venda desta, estas informações estão em todas as calçadas onde se fala política em Baraúna, tenho dito.A ida de Marcos Antônio para o governo foi um tiro no pé, no próximo ano começo das aulas, serão demitidos 150 correligionários de Luciana da secretaria de Educação, no lugar deles pessoas de Marcos AntÕnio, Tobete me disse que diante que diante desta realidade, não vai esperar 2015, está saindo agora do governo de luciana, a lista encabeçada por Tobente é grande, tenho dito de novo.

COLUNA DE CLÁUDIO HUBERTO

9 de setembro de 2014 at 22:18

9 DE SETEMBRO DE 2014
DELAÇÃO PREMIADA: TEORI FARÁ O QUE O MPF PEDIR
O ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal, disse a amigos que sua tendência é referendar o entendimento do Ministério Público Federal, em relação à proposta de delação premiada do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa. O que os procuradores do processo pedirem, ele concederá. Ao contrário do que foi noticiado, o caso da delação premiada ainda não chegou às mãos do ministro.
Compartilhar
O RELATOR
Zavascki foi sorteado como relator do caso no STF desde que a defesa do deputado André Vargas (ex-PT) tentou retirá-lo do juiz Sérgio Moro.
Compartilhar
INVESTIGAÇÕES
O STF deve mandar abrir investigação contra os delatados pelo ex-diretor, como ministros e parlamentares. Todos têm “privilégio de foro”.
Compartilhar
VAZAMENTOS, JÁ
Com policiais, procuradores e servidoras digitando tudo freneticamente, será inevitável o vazamento de mais nomes delatados pelo ex-diretor.
Compartilhar
PÂNICO GERAL
Os líderes governistas, quase todos enrolados, marcaram reunião de urgência nesta quarta, para discutir rumos da CPMI da Petrobras.
Compartilhar
PROPINODUTO FOI SIMULTÂNEO AO MENSALÃO DE LULA
O propinoduto na Petrobras ocorreu entre 2004 e 2012, ou seja, nos governos de Lula e Dilma, segundo revelou o ex-diretor Paulo Roberto Costa. Isso significa que enquanto Lula jurava que “não sabia” e os petistas insistiam que o mensalão era invenção da “imprensa golpista”, outro mensalão era alimentado por 3% do valor dos contratos da Petrobras, e o dinheiro roubado repassado aos políticos aliados do PT.
Compartilhar
DÁ FILME
Os depoimentos do delator Paulo Roberto Costa ao Ministério Público Federal inspiram título de livro: “As 40 horas que abalaram o Brasil”.
Compartilhar
PRIMEIRO BODE
Dilma aproveitou o escândalo na Petrobras para expulsar de sua campanha o presidente do PT, Rui Falcão, que ela detesta.
Compartilhar
PENSANDO BEM…
…com o governo em chamas, o desfile de 7 de Setembro pode ter sido o último passeio de Dilma em carro aberto com a faixa presidencial.
Compartilhar
LULA SE CALA, DE NOVO
Como sempre, Lula mergulha em ruidoso silêncio. Não abre a boca nem para defender a “cumpanherada”. Foi assim no caso do tráfico de influência da amiga íntima Rosemary Noronha, a insinuante Rose. Ele se recusa a falar sobre os escândalos que seu governo agasalhou.
Compartilhar
O CRIME É OUTRO, MANÉ
O ministro Gilberto Carvalho estava tão preocupado com os efeitos do escândalo na campanha de Dilma que, em vez de criticar quem roubou a Petrobras, preferiu atacar os vazamentos das informações.
Compartilhar
HÁ UM INCÊNDIO, MADAME
Dilma presidiu o conselho da Petrobras por oito anos, nomeou seus diretores e o ministro Edison Lobão (Minas e Energia), sua campanha é paga com dinheiro arrecadado pelo tesoureiro do PT, João Vaccari, e o os aliados recebiam propina. Mas ela diz que “não atinge o governo”.
Compartilhar
SEM SURPRESAS
Entre os delatados pelo ex-diretor da Petrobras, há poucas surpresas. Uma delas foi o senador Ciro Nogueira (PI), presidente nacional do PP. Jovem, rico e com ficha limpa, ele não precisava se meter nisso.
Compartilhar
LEGISLAÇÃO RIDICULARIZADA
O PSTU, cujo nº é 16, parece não levar eleições a sério: seu candidato ao governo do Mato Grosso do Sul fez da previsão de gastos da campanha uma piada, informando ao TSE gastos de R$ 161.616,16.
Compartilhar
INDIGNAÇÃO
Citado por Paulo Roberto Costa no esquema bilionário na Petrobras, o presidente do Senado, Renan Calheiros, disse ao vice Michel Temer, em almoço no sábado (6), em Maceió, que está indignado, que não participou da ladroagem e sequer sabe do que está sendo acusado.
Compartilhar
MISSÃO IMPOSSÍVEL
No Conselho de Ética, não há a menor esperança de decidir o destino do deputado Luiz Argôlo – que, aliás, disputa reeleição – antes da eleição. A dificuldade maior é reunir quórum mínimo para a votação.
Compartilhar
DOIS COELHOS
O ministro Garibaldi Alves (Previdência) vai tirar férias nesta quinta (11) para se dedicar integralmente à campanha da presidenta Dilma e do filho Walter Alves (PMDB-RN), que é candidato a deputado federal.
Compartilhar
ELE JÁ SABIA
Quando Obama espionou a Petrobras, para escândalo de Dilma, ele não estava de olho nas nossas riquezas, mas nas safadezas

TRANSCRITO DO BLOG DO CARLOS SANTOS

9 de setembro de 2014 at 22:07

Casa de Saúde Dix-sept Rosado sofre intervenção judicial

O juiz Magno Kleiber Maia, da 2ª Vara do Trabalho de Mossoró, determinou a intervenção da Casa de Saúde Dix-sept Rosado (CSDR).

CSDR vive dificuldade insanável há muito tempo (Foto: Jornal de Fato)
A decisão foi tomada em audiência realizada na tarde desta terça-feira (9), com a presença de representantes do Ministério Público do Trabalho e da Prefeitura Municipal de Mossoró.
A partir de então, a Secretaria Municipal de Saúde Pública está nomeando uma diretoria para, a partir das 8h da manhã desta quarta-feira (10), assumir a administração da unidade por 90 dias.
Na noite desta terça-feira, as equipes de trabalho do Município, que já estavam discutindo uma solução para a questão da obstetrícia na cidade, se reúnem com os anestesiologistas, pediatras e obstetras com o intuito de discutir a renovação dos contratos de serviço.
Nesta quarta-feira, a administração pública visitará o prédio da Casa de Saúde e se reunirá com os seus funcionários. Após isso, será divulgada a data do retorno dos partos de baixo e médio risco.
Com informações do Site da Prefeitura de Mossoró.
Nota do Blog – Ao final da semana passada, o secretário estadual da Saúde Pública, Luiz Roberto Fonseca, deu ultimato para que a Prefeitura de Mossoró resolvesse impasse no atendimento à baixa e média complexidades.
Deixou claro, que o Hospital da Mulher Parteira Maria Correia não teria como assumir a avalanche de procedimentos que deixaram de ser realizados pela CSDR.
A decisão é polêmica, sim.
Mas algo precisava que ser feito.
A intervenção pode ser a porta de acesso à municipalização da CSDR, que há muitos anos fugiu ao controle de seus gestores, abrigados na Associação de Proteção e Assistência à Maternidade e à Infância de Mossoró (APAMIM), entidade sem fins lucrativos.
Há poucos dias, o Ministério Público do Trabalho (MPT) e o Ministério Público do RN (MPRN) ocuparam a CSDR, cumprindo mandado de busca e apreensão – veja AQUI.
Depois deu explicações sobre a ação (veja AQUI), apontando o porquê da operação.
No final do ano de 2010 e início de 2011, Mossoró viu estarrecida uma crise que levou muitas mães a saírem da cidade para partos em Natal, Fortaleza e até Russas-CE.
Naquela ocasião, a estratégia do governo da então prefeita Fafá Rosado (PMDB), por picuinha politiqueira criminosa, era fechar a qualquer custo (inclusive de vidas), a CSDR. Não conseguiu.
Dessa feita, o propósito é mantê-la aberta

PETROBRAS E O ESCÂNDALO DA DELEÇÃO PREMIADA

9 de setembro de 2014 at 16:15

PETROBRAS – Túlio Lemos
O final de semana foi de fato novo na eleição do RN, provocado pela delação premiada do ex-diretor da Petrobras, Paulo Roberto Costa. O “Homem-Bomba”, como ficou conhecido o delator, citou vários políticos do Brasil, que receberiam propina para proteger o assalto aos cofres da empresa. Do RN, pelo menos por enquanto, somente Henrique Alves figura na lista da corrupção.

FATO

O fato do nome de Henrique aparecer em escândalo não é novidade. É novidade ter aparecido nessa eleição, principalmente pela coincidência do filho de Aluízio ser o atual presidente da Câmara dos Deputados e disputar o Governo do RN.

DIMENSÃO

O escândalo da Petrobras tem a força de se transformar em fato novo da eleição no RN pela dimensão que a delação premiada tomou na imprensa nacional, principalmente pelos nomes dos envolvidos no suposto esquema de recebimento de propina. O nome de Henrique está ligado diretamente ao de Renan Calheiros, presidente do Senado.

PARLAMENTO

Ganha relevo o fato de que os presidentes da Câmara e do Senado, seriam beneficiários de um esquema de corrupção. Afinal, trata-se dos dois titulares das duas casas legislativas do País, os sucessores hierárquicos da presidente da República. Não é todo dia que alguém acusa dois dos mais influentes políticos do País, de fazer parte de um esquema sujo.

REPERCUSSÃO

A imprensa nacional continua repercutindo o escândalo da Petrobras e o nome de Henrique está sempre em evidência negativa. Como o tema não vai ser esgotado em pouco tempo, o efeito negativo do envolvimento do parlamentar potiguar no esquema pode ser devastador para sua candidatura.

CONSEQUÊNCIAS

Hoje, políticos de diversos partidos já começaram a falar em cassação de mandato dos envolvidos. Não demora o pedido de renúncia de Henrique Alves e Renan Calheiros, como forma de dar uma resposta à sociedade diante do mar de lama que tomou conta da Petrobras.

APOIO

O senador José Agripino está diante de uma grande dificuldade. Seu candidato a presidente, Aécio Neves, está usando a delação premiada do diretor da Petrobras como única arma eleitoral que poderá lhe dar uma sobrevida na disputa presidencial. Como coordenador da campanha do PSDB, Agripino já está, indiretamente, apoiando as pancadas de Aécio no esquema de corrupção.

SILÊNCIO

O detalhe é que, para concordar com o que Aécio Neves diz sobre o esquema, Agripino vai ter que envolver Henrique Alves, seu candidato a governador. Caso silencie no aspecto nacional para proteger Henrique, compromete totalmente sua posição na campanha presidencial. E agora, José?

DEFESA

A nota oficial do deputado Henrique Alves não bate de frente com o acusador, mas já antecipa que o tema pode ser usado na campanha: “Nunca pedi nem recebi quaisquer recursos por meio do senhor Paulo Roberto Costa.

As insinuações publicadas pela revista Veja, de forma genérica e sem apresentar evidências sobre o meu nome, não podem ser tomadas como denúncia formal nem fundamentada.

DEFESA II

Continua a nota de Henrique: “Foram feitas em um processo de delação premiada, sem apresentação de provas. E delação premiada exige provas. Peço a todos que fiquem atentos à manipulação do episódio na campanha eleitoral, por candidatos sem respeito pela verdade dos fatos”.

PROVAS

Do empresário Gustavo Rocha, no Twitter: “Exigir provas para delação premiada lembra a piada daquele corno que só acreditava vendo. Um dia viu a mulher na cama com outro”.

PROVAS II

Do juiz Raimundo Carlyle: “Princípio da inocência nos contraditórios tempos atuais: “Nego. Depois, quem puder prove que menti.” (Joca do Coroatá)”.

VISÃO

Esse escândalo da Petrobras tem provocado situações hilárias. Há aqueles que estavam com toda a sede de usar a lama preta na campanha nacional, desde que o uso atingisse somente a campanha presidencial. Com envolvimento de Henrique, os falantes ficaram sem ter o que dizer.

MICO

Sherloquinho quer saber porque os arautos da moralidade momentânea e seletiva, que passaram três meses transformando a compra de um edifício, pelo Ministério Público, em gigantesco escândalo, não deram uma linha sobre o verdadeiro escândalo, o da Petrobras?

BAIXARIA

Perguntinha básica aos ‘puros’ seletivos que ‘odeiam’ baixaria em campanha. Até aceitam, desde que seja na campanha de seus adversários: Falar do escândalo da Petrobras pode ser considerado baixaria ou baixaria é justamente roubar a Petrobras

TÚLIO LEMOS